Início » Justiça 2.0

Vídeos postados no canal do STF no YouTube somam mais de um milhão de exibições

Supremo Tribunal Federal 6 de abril de 2010
Bookmark and Share

Com pouco mais de seis meses de existência, o canal do Supremo Tribunal Federal (STF) no YouTube atingiu a marca de um milhão de exibições dos 1.657 vídeos postados no site. O recorde de visualizações dos vídeos foi alcançado nesta terça-feira (6).

O STF é a primeira Suprema Corte no mundo a contar com uma página oficial na comunidade de vídeos mais popular da Internet. Isso foi possível por meio de uma parceira firmada com a empresa Google Inc., oficializada no dia 1º de outubro de 2009, data em que o canal estreou.

O site encerrou seu primeiro mês de vida com picos diários de até 8 mil exibições dos então 650 vídeos postados na página. Atualmente, o total de exibições diárias dos vídeos incluídos no canal gira em torno de 9.800.

A audiência do canal vem se firmando por meio da postagem quase imediata das sessões plenárias da Corte, que são incluídas no site sempre no dia seguinte ao ocorrem, nas tardes de quarta e quinta-feira. Outros destaques são os vídeos produzidos especialmente para a página, postados semanalmente, em que especialistas tiram dúvidas sobre temas gerais, muitas vezes a respeito de questões que estão sendo debatidas pela sociedade. Esse foi o caso dos vídeos sobre recall e briga de torcida, duas questões que mobilizaram setores da sociedade nos últimos meses.

O canal também vem se firmando no YouTube como uma referência na área de temas jurídicos, já que contém programas produzidos pela TV Justiça e radionovelas gravadas pela Rádio Justiça. O vídeo campeão de audiência no Brasil desde que o canal foi inaugurado, com 18.136 exibições, é uma aula do programa “Saber Direito”, exibido pela TV Justiça, em que o procurador do Estado de Minas Gerais e professor de Direito Administrativo Barney Bichara fala sobre a teoria dos atos administrativos.

Entre os outros nove vídeos mais visualizados no canal, quatro também são aulas do programa “Saber Direito”, três são entrevistas com especialistas, um mostra audiência pública realizada pela Corte e o décimo exibe julgamento de feito no Plenário do Supremo.

Os dez mais

Entre as aulas do “Saber Direito”, chamaram mais atenção dos internautas as que trataram sobre o Código Civil (segundo lugar, com 9.402 exibições), concurseiros  (terceiro lugar, com 8.843 exibições), Direito Processual e Constitucional (sétimo lugar, com 7.250 exibições) e, por fim, uma aula sobre Direito Administrativo (nono lugar, com 6.503 visualizações).

Os vídeos em que especialistas tiram dúvidas sobre temas de interesse geral, que envolvem conhecimentos jurídicos, também contam com muita audiência. O quarto vídeo mais exibido no Canal, e que por quase três meses foi o mais visto, é uma entrevista em que o advogado Pierpaolo Bottini explica, de maneira prática e didática, e em menos de seis minutos, a diferença entre deportação, extradição e expulsão. O vídeo foi postado na manhã do dia 23 de outubro de 2009 e, até então, foi visto 8.866 vezes. Ele foi produzido na época em que a Suprema Corte debatia a extradição do ativista de extrema esquerda Cesare Battisti.

Outros vídeos em formato de pergunta e resposta que foram destaque no canal tiram dúvidas sobre o instituto da intervenção federal (quinto lugar, com 7.779 exibições) e sobre os direitos e deveres do empregado doméstico (oitavo lugar, com 6.978 exibições).

Também estão entre os dez vídeos mais exibidos desde que o site foi lançado o início da audiência pública realizada recentemente pelo Supremo para debater o sistema de cotas raciais nas universidades públicas brasileiras (sexto lugar, com 6.991 exibições) e a decisão do Plenário da Corte de negar o pedido de habeas corpus em favor do governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido) (décimo lugar, com 5.759 exibições).

Entre parceiros e no exterior

O canal conta atualmente com 4.587 parceiros. A grande maioria é do Brasil (4.377), mas também há inscritos nos Estados Unidos (37), em Portugal (12), na Itália (seis), na Alemanha (5) e em outros países da Europa, além da Argentina (três) e do Canadá (quatro). Atualmente, o canal oficial do STF no YouTube está entre os sete mais visitados dentre os mais de quatro mil parceiros.

No exterior, a visualização dos vídeos postados também é expressiva em alguns continentes e países. Destaque para a Europa, que conta com 9.830 exibições de vídeos postados na página. O mais visto lá até o momento é o programa “Repórter Justiça” sobre as cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil.

Entre os países europeus, a liderança no total de visualizações fica com Portugal, com 3.044, seguido da Alemanha, com 1.207, da Itália, com 1.080, da França, com 985, do Reino Unido, com 949, e da Espanha, com 918. Interessante notar que praticamente todos os países da Europa contam com visualizações de vídeos postados no canal.

Os Estados Unidos, sozinhos, somam 4.482 visualizações de vídeos que estão no canal. Naquele país, o campeão de acessos é o julgamento da primeira ação que chegou ao STF sobre o caso Goldman, com objetivo de impedir a ida do menino S.R.G. aos EUA com seu pai, David Goldman.

A Ásia soma 1.418 exibições dos vídeos do site; o Oriente Médio, 149; e a África, 196. Na América do Sul, contando com o Brasil, o total de vídeos exibidos é de 929.028. Excluindo-se da lista o Brasil, o país que conta com mais acessos dos vídeos postados na página do Supremo no YouTube é a Argentina. Ao todo, foram 935 visualizações de vídeos que estão disponibilizados no canal. Depois da Argentina, está o Chile, com 489 visualizações dos vídeos, seguido do Peru, com 451 visualizações, e da Colômbia, com 426 exibições de vídeos.

Origem dos acessos

A maior parte dos acessos dos vídeos postados no canal, 34% (241.281 exibições), foi feita no chamado “YouTube channel page player”, ou seja, no próprio site. Em seguida, estão as visualizações feitas por meio dos chamados “vídeos relacionados” àquele que foi originalmente exibido. Essas visualizações correspondem a 23% do total (169.079 exibições). Outros 20% das visualizações, somando 143.064, são de buscas feitas no YouTube. As chamadas visualizações virais (realizadas a partir de envio de links por e-mail ou mensagens instantâneas, por exemplo), somam 49.152, 6,9% do total.

Perfil do público

O perfil do público não teve aleração significativa se comparado com o apurado na primeira semana de aniversário da página. Na ocasião, 80% dos acessos dos vídeos postados no site era feito por homens entre 35 e 44 anos. Os outros 20% eram feitos por mulheres. Atualmente, 73% dos acessos é feito por homens entre 35 e 44 anos. Os outros 27% são feito por mulheres.

Os dados são do “YouTube Insight”, ferramenta que fornece estatísticas detalhadas dos vídeos postados no YouTube.

Veja a lista dos 10 vídeos mais assistidos pelos internautas:

1 – Direito administrativo é destaque no Saber Direito (1/5)
2 – Saber Direito analisa Código Civil de 2002 (1/5)
3 – Saber Direito fala sobre concurseiros (1/5)
4 – Saiba a diferença entre deportação, extradição e expulsão
5 – Confira nesta entrevista o que mudou com a nova Lei do Inquilinato
6 – Saiba o que é e como funciona uma intervenção federal
7 – Direito processual penal e direito constitucional (1/5)
8 – Audiência pública do STF discute sistema de cotas raciais em universidades públicas (1/5)
9 – Empregados domésticos: presidente do TST explica direitos
10 – Direito administrativo é destaque no Saber Direito (2/5)

Assista aos vídeos da página oficial do STF no YouTube por meio do endereço eletrônico: www.youtube.com/stf.

Artigos Similares

Deixe seu comentário!

Escreva seu comentário abaixo, ou insira um link do seu próprio site. Você também pode acompanhar os comentá via RSS.

Mantenha o tópico em ordem. Spam não é permitido.

Você pode usar as seguintes tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>